Por Hyperscience
 
Apenas alguns anos atrás, o ambiente de trabalho tinha com certeza a melhor tecnologia; fosse uma copiadora ou um computador novo, poucos consumidores tinham recursos suficientes para possuírem eles próprios alguma inovação interessante.

Hoje em dia, no entanto, é cada vez mais fácil para as pessoas comprarem tecnologias, normalmente mais eficientes e modernas do que as encontradas no trabalho.

Cada vez mais ansiosos para evitarem a “maquinaria velha”, os trabalhadores estão começando a usar suas próprias tecnologias para trabalhar, sempre que possível.

E, segundo uma nova pesquisa, as empresas que deixam os funcionários usarem seu próprio kit tecnológico veem a produtividade aumentar em até 30%.

Citrix Online, a empresa que encomendou o estudo, vai ainda mais longe: simplesmente oferece aos seus funcionários um orçamento e lhes diz para comprar seus próprios dispositivos.

Como os softwares se tornam cada vez mais baseados na web, os detalhes do hardware importam cada vez menos. Isso faz com que seja importante que a tecnologia seja tão boa em casa quanto é no escritório, com 45% das empresas no Reino Unido já permitindo que seus funcionários usem seus próprios equipamentos.

Mais de metade das empresas pesquisadas pela Citrix nem sabia quais dispositivos todos os seus funcionários estavam usando. Mas em 50% dos casos o dispositivo pessoal ofereceu maior funcionalidade ou flexibilidade do que o fornecido pelo empregador.

Um número de empresas levantam preocupações sobre a segurança de ter dispositivos externos acessando suas redes. Entretanto, com a crescente pressão para trabalhar mais em casa, esse é um problema que provavelmente será resolvido em breve.

Isso pode significar, em alguns casos, que os usuários terão menos liberdade para instalar ou usar seus próprios computadores no futuro, mas a situação final deve ser melhor do que a do passado.

Essas mudanças, no entanto, podem ter um impacto significativo sobre como as pessoas trabalham: se os funcionários forem capazes de escolher o seu próprio horário e trabalhar em casa, à distância do escritório, se tornará mais difícil para os gestores avaliarem qualquer coisa a não ser seus resultados.

“Esta é uma mudança enorme”, diz Andrew Millard, funcionário da Citrix. “À medida que as fronteiras entre o horário de expediente e o tempo pessoal tornam-se menos distintas, os gestores perdem o controle de como as pessoas trabalham, como priorizam o que fazem”, explica.

Não é nenhuma surpresa, portanto, que haja tanta resistência ao “turno de trabalho”. “Com o equipamento certo, no entanto, é uma tendência que deve ser difícil para os empregadores ou empregados resistirem”, argumenta Andrew.[Telegraph]
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather